sábado, 21 de março de 2009

Nunca é tarde!

Faz bem uns quatro meses que não fotografo skate, não quer dizer que não tenho fotografado, apesar de ter poucas oportunidades para isso. As oportunidades que tenho geralmente são aos domingos, mas nelas tenho preferido andar de skate. O motivo é simples, nos últimos tempos tenho me dedicado pouco aos esportes que pratico, e com isso estou sentindo no corpo a falta dos benefícios que a atividade física traz a pessoa.

Quem tem me acompanhado nas sessões é o amigo Ricardo Brito, confesso que estamos um pouco enferrujados, a falta da prática fica nítida nas manobras que teimam em não serem completadas. Com isso acabamos nos contentando com as manobras mais básicas/fáceis, mas mesmo assim somente com a alegria de dropar já nos damos por satisfeitos.

Mas tudo isso não quer dizer que não possa haver evolução. Nesse último domingo cheguei mais cedo na pista do Sumaré, com a reforma em SBC a recém inaugurada pista no bairro do Sumaré tem sido nosso destino nas tardes de domingo. Quando o Ricardo chegou eu já havia andado, e como havia levado a câmera resolvi então tirar umas fotos sem nenhuma pretensão.

Sai fotografando sem preocupação com o resultado, apenas estava curtindo o momento depois de meses sem clicar uma manobra, e falando em manobra há muito tempo o Ricardo busca uma em especial, e não é nenhuma manobra nova, muito pelo contrário, é das antigas.

Cada skatista vive o seu momento, em sua época, o tempo passa e as manobras evoluem, o skate evolui. Mas a base é a mesma, e existem algumas manobras que ficam marcadas. Na memória do meu amigo a madonna é uma delas. Há muito tempo ele me pede para fotografar essa manobra, mesmo sempre acertando uma ou outra, mas nunca a uma altura expressiva. Mas nesse domingo foi diferente, pois mesmo apenas enquadrando e clicando sem se preocupar muito acabei registrando um “moment” em que o Ricardo está a uma altura considerável, e alguns milésimos de segundos depois presenciamos aquela música para os ouvidos com o som da batida do tail no cooping. E era esse som que meu amigo tanto perseguia.

Ricardo Brito, madonna na pista do Sumaré - SP


Nunca é tarde para evoluir, nunca é tarde para sentir a sensação da nova manobra conquistada! Essa conquista eu presenciei e posso descrevê-la com uma palavra: persistência.

Outro old school se inspirou com a conquista e fez questão de escrever sobre o assunto, por que o skate é assim, ficamos felizes com cada manobra executada pelos amigos. Acesse o blog do Gyrão (Tribo Skate) e leia o texto A Pátria e os Amigos.

Blog do Gyrão:
http://triboskate.globo.com/blog/index.php?id=2

Fernando Arata


Um comentário:

RICARDO BRITO LERÊ disse...

SEM COMENTARIOS NO COMENTARIO !!... RSRSRS

QUANDO O FOTOGRAFO É BOM A MANOBRA FICA LINDA
É O ARATA MANDANDO MUITO BEM NOS CLICK'S

VALEU IRMÃO
TAMO JUNTO


LERÊ